Paciência. Essa é uma palavra que não faz parte do nosso vocabulário empresarial. Mas faz parte dos momentos de transição. Nesse processo acontecem muitas coisas: novas descobertas profissionais, muitos contatos feitos através de networking (nos tornamos especialistas nisso), redução de despesas (na maioria dos casos), novos hobbies, novas amizades, novas entrevistas. E tudo exige paciência.

Aliás, acho que uma das palavras que mais se ouve no mundo corporativo é o contrário de paciência: foco no resultados, ação, proatividade. Quando falamos sobre paciência?

Portanto, aí está algo que aprendemos: A esperar. Mas é um esperar diferente. Um “esperar agindo”.

Durante o processo, vivemos muitas sensações e emoções. E aquela que mais nos incomoda é a ansiedade. Sabemos que temos o perfil requerido para muitas empresas, apostamos nas nossas competências, conhecemos o nosso valor profissional, mas também sabemos que precisamos de uma oportunidade para nos desempenhar.

Escutei durante muitos desses anos excelentes profissionais falarem: puxa, tenho tudo para determinada posição, estudei nas melhores faculdades, falo inglês, excelente experiência, mas o que acontece que não consigo me recolocar.

Não acho que não consiga. Só acho que precisamos “esperar agindo” para nos recolocar. As vagas sempre existem. Basta fazer o que é preciso ser feito. Acionar as pessoas que precisam ser acionadas, falar que estamos em transição. Não ter medo, nem vergonha. Não é vergonhoso estar em transição. É somente uma fase. E como todas fases, elas passam se agirmos e esperarmos.

Há de tratar a recolocação como um projeto de vida, o mais importante no momento. Como todo projeto, deve ser estruturado e iniciar com um processo de reflexão realista.

Então, parar, refletir e definir.


* Trate seu processo de recolocação com profissionalismo;

* Faça um balanço de vida e carreira, aproveite esse momento para refletir sobre sua trajetória e, se for o caso, modificá-la;

* Faça um balanço de oportunidades que podem ser exploradas no mercado;

* Reserve um tempo para a leitura de jornais e leia os classificados não apenas como uma fonte de oportunidades, mas também como uma fonte de informação sobre o que o mercado de trabalho está solicitando;

* Se sua área possui uma característica técnica mais evidente, procure se atualizar lendo publicações específicas e dirigidas;

* Avalie sua situação: recursos pessoais, capital, perspectivas;

* Faça uma estratégia na busca de novas oportunidades.

* Tenha paciência com ação.

E no final tudo dá certo!

Diga Sim à Felicidade

Psicóloga Carolina Mirabeli CRP 06/69647

Rua Padre Chico, 221 conj. 616 Perdizes São Paulo-SP