Auto-sabotagem! eu? imagina!


Vamos falar sobre auto sabotagem. O que é isso? É algo que acontece na sua vida ou totalmente impossível? Quando ela acontece? Você já se deu conta que muitas vezes você faz planos, você direciona todos os seus esforços para que alguma coisa se realize e de repente algo acontece e tudo volta para trás. Por que você acha que isso acontece?

Vejam que muitas vezes alguma coisa que você quer muito, você faz de tudo para alcançar, tudo para que realize e de repente você não quer mais, você deixa de lado, e aquela coisa que era tão ansiada perde a força. E então você pensa, “ah, não tinha que ser, ah então não tinha que acontecer, foi melhor assim”. Colocando desculpas em algo invisível, em algo que você não pode controlar. Por exemplo: “Deus quis assim”. “Foi melhor que isso aconteceu, porque senão algo pior iria acontecer”. Perceba a partir de hoje quantas vezes você faz isso durante o dia. Seja nos relacionamentos, vida profissional, seja no desejo que você quer muito realizar, na relação com seus filhos, casal, seja em relação ao seu corpo.


Vamos tentar explicar logicamente: existe um conteúdo no córtex pré frontal que impulsiona você nas realizações das suas metas. Porém existem crenças que foram criadas ao longo da vida, que também determinam se essas metas serão fáceis, medianas, difíceis ou impossíveis. Porque normalmente a paralisação é derivada de alguma crença que diz, “melhor não continuar, porque se continuar, algo pode acontecer. E assim instala-se o medo. Para evitar que a coisa realmente aconteça, e depois algo maior negativo possa acontecer, eu paraliso desde o inicio, para que não exista sequer a possibilidade de que esse medo se instale novamente. Porém, muitas vezes, esse medo nem vai existir. Essas consequências negativas não irão acontecer. Mas eu me pego paralisado, derivado dessa insegurança e desse medo, que é melhor parar agora do que continuar e ter que parar lá na frente.

Veja como nossa mente é criativa, nós criamos algo que desejamos, fazemos os planos para que isso aconteça, e de repente, derivado de alguma insegurança, sentimento que ficou lá trás guardado dentro de nós, a gente se boicota. E depois se auto-pune.

Queria muito emagrecer, comecei minha dieta, exercícios, passado duas semanas não emagreci. Penso: “melhor não continuar porque está muito difícil. Vou comer um chocolate hoje”. E como, e depois de comer o chocolate, eu falo para mim mesmo: “eu deveria não ter comido esse chocolate”. E agora eu terei que ficar quatro horas sem comer nada. Auto-puno meu corpo por algo que ele não tem culpa. Isso acontece o tempo todo na nossa vida. O tempo todo nós colocamos desafios, anulamos, nos chateamos e ficamos tristes porque não conseguimos cumprir. Em consequência, nos auto punimos porque não fomos capazes de cumprir.


Observe o seu comportamento a partir de agora, para que possa identificar o que está fazendo você paralisar, não dar continuidade em algo que você deseja tanto. Por que isso está acontecendo nesse momento da sua vida? Não será uma oportunidade de revisitar seus valores internos, os sentimentos que ainda estão guardados dentro de você, que ficaram escondidos lá trás, não será a oportunidade para mudar de vez esse comportamento e fazer com que você alcance a libertação, a fluidez diante desses aspectos? É agora a possibilidade. Sim, é agora. Faça isso. Liste os desejos. Liste os medos inerentes a esses desejos. E tente tranquilamente observar como esses medos atuam. Observar como eles influenciam o seu comportamento no dia a dia. Se realmente é um catalisador ou um dificultador. Fazendo isso agora será possível ir lá na raiz do problema e anular a causa. Porque quando olhamos, reconhecemos e libertamos essa situação, ela não é mais necessária. A repetição deixa de existir. E então, aquilo que tínhamos tanto medo passa a não existir mais, como uma passe de mágica. Agora é o momento de se dar conta de que você tem uma ferramenta nas mãos para ativar seu poder interno.

Diga Sim à Felicidade

Psicóloga Carolina Mirabeli CRP 06/69647

Rua Padre Chico, 221 conj. 616 Perdizes São Paulo-SP