É essa vida que quero levar?


A cura nunca é fácil. E de que cura estamos falando? De tudo aquilo que nos leva distante de nós mesmos.

Ao nascermos, já somos inseridos na cultura e nos hábitos daqueles que mais convivemos, nossos familiares. Depois crescemos, vamos para a escola, trabalho, e quando nos deparamos com nós mesmos, naquele momento intimo, no espelho, nos perguntamos: o que fiz? O que estou fazendo? É essa vida que quero levar?

E aí paramos para refletir e vemos que o curso que escolhemos foi pelos nossos pais, o trabalho nos dá o sustento, mas não nos alegra.... e assim passamos a vida empurrados por um desejo de mudar. Mas como?

Podemos passar dias e dias com dores, tristes, desanimados. E não percebemos que toda essa tristeza, dores e desânimos são alternativas que nossa alma encontrou para nos fazer refletir sobre nossas vidas.

E o que fazemos?

Entorpemo-nos com medicamentos, indo de médico em médico, fazendo diversos exames físicos para “aliviar” os sintomas.

Vejo diariamente na internet pessoas perguntando como fazem para se curar, para serem felizes no trabalho, vida amorosa, vida familiar... E leio as respostas padronizadas de centenas de pessoas dando depoimentos de como elas encontraram suas verdades. Para alguns, a constelação familiar resolveu, para outros, a terapia, enquanto outros, o tratamento espiritual. Agora, o que de tudo isso aplica a mim? E eu, humildemente, posso dizer que realmente não existe receita fácil ou simples. Cada receita é individual, única, intrasferível, porque as buscas e as missões também os são.

Pessoalmente, no meu processo de cura da alma, conheci muitas profissionais da saúde, passei por muitas terapias e todas elas se somaram e formaram o que posso considerar hoje como a receita para a minha cura. Posso querer compartilhar aqui o que encontrei de respostas para minhas perguntas, mas muito desse processo, que aplica-se somente a mim, não servirá para outros. Ao mesmo tempo que posso, também humildemente, compartilhar a minha história e as técnicas que aprendi nesse processo e ajudar aquele outro ser humano que também pede pela evolução da sua alma.

Portanto posso lhes dizer, se a doença, a dor, a tristeza, a falta de sentido chegaram até você, acolha e agradeça. Respeite e procure por ajuda, se não conseguir lidar sozinho. É também no processo da dor (emocional, mental, física ou espiritual) que a cura existencial acontece. Agora, saiba que não existe médico, terapeuta, seres espirituais que fazem milagre. Porque o verdadeiro milagre somente existe quando encontramos o que estava perdido dentro de nós mesmos: a força interna que nos mantem e nos faz sermos nós mesmos. Nossa alma tem um poder tão grande que basta nos conectarmos a ela para encontrarmos nossa profunda verdade.

Se você está nessa busca e gostaria de compartilhar comigo tua experiência, adoraria ouvir sua história.

Diga Sim à Felicidade

Psicóloga Carolina Mirabeli CRP 06/69647

Rua Padre Chico, 221 conj. 616 Perdizes São Paulo-SP