Se eu pedir para você pensar em duas mulheres que foram agredidas física ou verbalmente por um homem, você me dirá o nome de pelo menos três. Sabe por quê?

Segundo dados da pesquisa realizada pelo Datafolha, uma em cada três mulheres sofreram alguma agressão em 2016. Foram 503 mulheres agredidas fisicamente a cada hora. 503 por hora???

12 milhões foram agredidas verbalmente e 1,2 milhões foram espancadas!!!

E me conte, como você ficou sabendo? Foi a mulher agredida que te contou ou um vizinho ou parente que ficou sabendo? Sabe por quê?

Porque das mulheres agredidas, menos de 50% procuraram ajuda, e apenas 12% procurou uma delegacia de polícia. Medo? Insegurança? Sociedade machista que se cala?

Agora quer saber mais?

43% foi agredida sabe onde? Dentro do seu próprio lar. QUE????? No lar? Sim, foi agredida por marido, namorado, filhos dentre outros.

E o que fazer?

Se você conhece alguém que esteja vivendo uma situação de maus tratos, seja moral, sexual, fisicamente, DENUNCIE!

Se essa mulher estiver com medo, ACOLHA!

NÃO lave as mãos. Hoje é ELA. Amanhã pode ser você!

Ajudar uma outra mulher a ter uma vida feliz também é Empoderamento.

Se não bastasse a violência, vamos para mais um fato:

Não é de hoje que se fala que mulheres ganham menos que os homens. E também não é novidade que mulheres tem jornadas duplas, triplas. Acordam cedo, arrumam seus filhos para a escola, vão trabalhar, voltam para casa, fazem jantar, limpam a casa, ajudam na lição. de casa etc.

Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), de 2015, o rendimento médio dos brasileiros era de R$ 1.808, mas a média masculina era mais alta (R$ 2.012), e a feminina, mais baixa (R$ 1.522).

E tá, o que eu faço para mudar?

CONSCIÊNCIA é o primeiro passo para a mudança. Portanto, se você no seu dia a dia pode fazer algo para ajudar, faça. A mudança da sociedade depende de cada um de nós.

Central de Atendimento à Mulher

Este serviço é destinado a atender denúncias, orientar e encaminhar os casos de violência contra a mulher.

O número colocado à disposição, considerado de utilidade pública, 180, permitirá ligações de todo território nacional.

A Central funciona 24h por dia, inclusive aos finais de semana. Ligue 180.

Polícia Militar: ligue 190

Núcleo Especializado de Promoção e Defesa dos Direitos das Mulheres da Defensoria Pública de São Paulo (NUDEM)

Endereço: Rua Boa Vista, nº 103, 10º andar, Centro, São Paulo – SP. CEP: 01014-001

Telefone: (11) 3101-0155. Ramal: 233 ou 238

Site: http://www.defensoria.sp.gov.br/dpesp/Default.aspx?idPagina=3355

Centro de Defesa e de Convivência da Mulher I

Endereço: Rua do Fico, 234. São Paulo/Ipiranga. CEP: 04201-000

Telefone: (11) 2272 04 23

Site: http://www.falamulher.org.br/projetos.php

Centro de Defesa e de Convivência da Mulher II

Endereço: Rua Ferreira de Almeida, 23. São Paulo/Casa Verde. CEP:02517-150

Telefone: (11) 3858-8279

Site: http://www.falamulher.org.br/projetos.php

https://www.defensoria.sp.def.br/dpesp/Default.aspx?idPagina=3454

(Imagem: Cartaz russo incitando as pessoas a abrir os olhos sobre a violência doméstica contra as mulheres)

Copyright © Carolina Mirabeli. Todos os direitos reservados.

www.psicarolinamirabeli.com.br

www.facebook.com/empodereseeflua

www.instagram.com/empodereseeflua

Diga Sim à Felicidade

Psicóloga Carolina Mirabeli CRP 06/69647

Rua Padre Chico, 221 conj. 616 Perdizes São Paulo-SP