O Mestre de mim mesmo


Ronald tinha dois carros. Um ele usava para viajar e outro para trabalhar. Seu carro de viagem era alegre e feliz. Seu carro de trabalho era triste e solitário. Por que isso? Porque Ronald passava o dia pensando em chegar no final de semana e se libertar daquela prisão que sentia ao não conseguir trabalhar no que gostava e na expectativa de que um dia conseguiria ter uma vida que queria.

Porém, enquanto os dias passavam, Ronald sentia que esse sonho se tornava mais impossível, primeiro porque tinha que acumular dinheiro para conseguir pagar os dois carros, depois porque tinha responsabilidades na sua família que o impediam de largar tudo e trabalhar no que gostava. Ele gostava mesmo de viver na natureza, na cabaninha que havia comprado quando tinha 20 anos de idade, ia para lá todos os fins de semana e já havia imaginado fazer um grande empreendimento para ajudar outras pessoas que tinham o mesmo sonho. Mas seu dinheiro nunca daria para isso.

Era assalariado, em uma empresa de comércio exterior. Passava os dias sonhando em como fazer para ganhar mais, em como acumular mais, em como pagar o financiamento do seu carro. Tristes aqueles dias em que imaginava acordar na cabaninha, atender os clientes lá da praia, vendo como ser mais feliz do que era.

Um dia Ronald falou com um Mestre muito experiente e evoluído. E lhe perguntou:

- Mestre, como faço para ser feliz? Como realizo meu sonho de largar tudo e viver apenas do que gosto?

O Mestre, muito consciente e atento aos desejos do rapaz, disse-lhe:

- Meu rapaz, há muitos como você que passam a vida esperando chegar um dia para serem felizes. Há muitos que sonham durante 24 horas do dia em viver uma vida diferente das que levam. O que ganham com isso? Mais desconexão consigo mesmos. Mais distância do que realmente acreditam. Mais dificuldade em encontrar o que querem.

Olhe para seu coração. Escute o que ele diz. Será necessário ter dois carros, separando sua vida em dois, para conquistar o UM? Será necessário acumular dinheiro para comprar um empreendimento e ser rico vivendo a vida que quer, ou faz-se necessário colocar seu propósito em ordem e arriscar-se à felicidade?

Você passa seu dia sonhando em estar lá, por que não simplesmente deixa tudo e vai?

- Mas eu tenho medo, Mestre.

- O medo nos impulsiona, nos leva a ficar atentos. Nos abre os olhos da alma para vermos mais além do que precisamos. Vai, filho. Sua vida merece mais do que simplesmente reclamar 24 horas por dia por querer ter uma vida diferente da que tem.

O rapaz, tão entusiasmado com o que havia escutado olhou para o lado e não havia ninguém. Percebeu, então, que esse Mestre era sua própria alma dizendo: Vai, realiza, você merece ser feliz!

E ele foi!

Moral da história: quem escuta o Mestre interior vive a vida com realização e felicidade. Se você ainda não conseguiu escutá-lo, pratique. O Mestre sempre tem lições maravilhosas para você.

Copyright © Carolina Mirabeli. Todos os direitos reservados.


Diga Sim à Felicidade

Psicóloga Carolina Mirabeli CRP 06/69647

Rua Padre Chico, 221 conj. 616 Perdizes São Paulo-SP